Palavra do Presidente

 

É uma honra presidir a maior, mais importante e bem organizada associação municipalista do Paraná e seguramente uma das mais importantes do Brasil. Para a população de Maripá, também é algo inédito, porque o município passa a ser representado pela primeira vez no comando da Amop.

Por isso, agradeço a confiança em mim depositada pelos colegas prefeitos e prefeita, e sinto-me imbuído de uma responsabilidade redobrada: administrar e conduzir dignamente os destinos da Amop durante o decorrer deste ano e no início do próximo ano. Pretendo me dedicar e me esforçar para poder estar à altura de meus antecessores, que tanto fizeram ao moldar, ao longo das décadas, aquela que é considerada a entidade-mãe de todas as estruturas organizadas que espelham a diversidade e a riqueza da sociedade onde vivemos.

O Oeste é um exemplo bem acabado da mistura entre o belo espetáculo proporcionado pela natureza e o trabalho forjado pela astúcia da mão acurada do homem. Temos o privilégio da existência de Foz do Iguaçu, berço das Cataratas e de Itaipu Binacional; e também a bela e promissora metrópole Cascavel, além da cosmopolita Toledo, e ainda as belas Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Assis Chateaubriand, São Miguel do Iguaçu, Palotina, Guaíra, Guaraniaçu, Santa Helena e outras tantas cidades.

Mas, temos também, exemplos de iniciativas de sucesso brotadas em cidades de pequeno porte, como é o caso de Maripá, que orgulhosamente realiza alguns dos mais expressivos eventos regionais e aposta no turismo como alavanca injetora do desenvolvimento, e outras tantas, como Tupãssi, Jesuítas, Santa Tereza do Oeste, Lindoeste, Itaipulândia e as demais cidades desta bela região.

Essa diversidade molda uma região de características mais do que especiais. Muitos consideram que o Oeste é praticamente um pequeno estado, uma ilha de prosperidade e de qualidade de vida. Mas outros lembram que a região convive com problemas crônicos, que precisam ser combatidos de frente, principalmente no que se refere à capilaridade da região de fronteira. A Amop, com sua múltipla função, tem importante papel em um processo cuja receita maior é a somatória de esforços que só se tornam possíveis quando o tema é tratado em conjunto.

Entendemos que é possível fazer muito mais pela região. Unidos, os prefeitos podem além de suas possibilidades e potenciais individuais. Por isso, é preciso renovar as esperanças por dias melhores, especialmente neste momento de abertura das ações de Itaipu Binacional para a totalidade dos 54 municípios da região Oeste.

Vamos lutar por mais investimentos, pela efetivação das nossas antigas bandeiras de luta e eliminação dos gargalos de infraestrutura e logística. É pelo conjunto de esforços que a transformação acontece. E a Amop é a mola propulsora dessa integração, a indutora do processo que culmina na condição em que vivemos hoje e pela excelência da qualidade de vida do oestino. Muito obrigado.

Anderson Bento Maria