Prefeitos discutem manutenção de convênios com CEF e com Itaipu

Reunidos na manhã desta sexta-feira (5) na sede da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná), em Cascavel, prefeitos da região Oeste discutiram temas da pauta municipalista, especialmente questões relacionadas à manutenção de convênios com a CEF (Caixa Econômica Federal) e com a Itaipu Binacional.

A assembleia, de caráter extraordinário, foi comandada pelo prefeito de Jesuítas e presidente da Amop, Junior Weiller. Também foram discutidos a formalização de convênio com o aplicativo GovFácil, explanação sobre curso de Gestão e Liderança Global na Universidade da Califórnia, moção de aplauso à reabertura da Estrada do Colono, realização do Fermop 2019 e outros temas.

O encontro contou com a presença de Luiz Paulo Lasta, superintendente regional da CEF em Cascavel, e Paulo Schad, do Regov, organismo que cuida das ações de governo do banco estatal em nível de região Oeste.

Segundo os prefeitos, a queixa maior é decorrente das exigências que o banco faz em seu check list utilizado para a liberação de recursos para obras. “Em determinadas circunstâncias, mais parece que a burocracia está acima do interesse público”, disse o prefeito de Três Barras do Paraná e segundo vice-presidente da Amop, Hélio Bruning.

“Nossa intenção é romper barreiras, eliminar dificuldades burocráticas e fazer valer o diálogo entre ambas as partes, para que as obras com recursos do governo federal e que passam pela CEF tenham o destino mais adequado e ágil possível e cumpram com excelência o papel social e de indução do desenvolvimento”, disse Luiz Paulo.

“A agonia dos prefeitos é justificável. Quando as coisas se tornam muito burocráticas, ocorre a venda de facilidades. Desta forma, a roda da corrupção não para a continua girando. Boa parte deste problema decorre do fato de o Brasil realizar uma eleição a cada dois anos, situação que engessa e emperra o poder público e cria uma série de dificuldades legais”, afirmou Junior Weiller.

Já os convênios com Itaipu, reduzidos diante da nova filosofia de gestão da nova diretoria da Binacional, também foram discutidos, diante da priorização de obras de caráter estruturante, em detrimento de outras. A Amop está aprimorando esta discussão e em breve deve fazer novos esforços para discutir o tema.

Share this:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *