Amop orienta as prefeituras a priorizar serviços essenciais

 

Ofício encaminhado nesta segunda-feira (28) aos prefeitos da região Oeste pelo presidente da Amop, Anderson Bento Maria (prefeito de Maripá), sugere aos colegas chefes do Executivo, que priorizem as ações essenciais em saúde e educação, neste momento de greve de caminhoneiros e crise nos transportes.
A Amop encaminhou aos 54 gabinetes de prefeituras associadas cópia de uma minuta para ser utilizada como base na elaboração de projeto de lei, que estabelece o ordenamento jurídico adequado quanto a ações referentes aos efeitos da greve. O decreto prevê, entre outras ações, a criação de um comitê permanente de monitoramento da crise e adoção de medidas emergenciais no âmbito das administrações municipais, caso necessárias forem.
Isso em virtude de que, até o momento, já não há mais combustível nas bombas dos postos, e a situação é semelhante quanto às reservas de gás de cozinha, fundamentais para o preparo da merenda escolar.
Já a paralisação ou não das atividades das prefeituras fica a critério de cada Município. A Amop sugere, no entanto, que as prefeituras priorizem a logística de veículos da saúde e educação, e que os demais deslocamentos só ocorram diante de extrema necessidade. E que retomem a normalidade logo após a paralisação geral ser finalizada. “Ressalte-se ainda que essas orientações possuam caráter informativo e também preventivo às prefeituras, evitando, desta forma, o caos nos serviços públicos”, destaca Anderson.

Share this:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *