Aeroporto para 2030 vira meta de líderes regionais

Avançar nas negociações que envolvem a construção do Aeroporto Regional do Oeste do Paraná foi o foco de reunião realizada na tarde desta sexta-feira (9), na sede da Acic em Cascavel, com representantes de três municípios onde o futuro sítio aeroportuário está previsto: Cascavel, Toledo e Tupãssi.
Ao lado de líderes políticos e empresariais regionais, os prefeitos das três cidades – Leonaldo Paranhos, Lúcio De Marchi e Ailton Caieiro, respectivamente – assinaram termo de declaração de utilidade pública da área, primeiro passo antes da desapropriação.
O ato foi testemunhado por deputados estaduais, prefeitos de outras cidades, vereadores e presidentes de associações de classe. A iniciativa partiu de 64 entidades que compõem o Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Cascavel e do programa Oeste em Desenvolvimento.
A expectativa é de que, caso o cronograma de ações seja cumprido à risca, há reais chances de o empreendimento ficar pronto em meados de 2030. Mas, para que o objetivo seja atingido, longo caminho precisa ser percorrido, já que o Governo Federal não coloca o Aeroporto Regional em sua lista de prioridades.
Mas, na região, o assunto é das poucas unanimidades e ultrapassa questões partidárias, pois há o entendimento de que, sem um aeroporto de grande porte, o Oeste do Paraná continuará sendo coadjuvante nos cenários político e econômico paranaense.
O tema é complexo, pois envolve expressivas soma de recursos, em torno de R$ 80 milhões, segundo cálculos preliminares. E p gargalo aeroportuário soma-se a outros dois fatores que ameaçam a produtividade: a necessidade de investimentos na malha ferroviária e rediscussão das concessões de rodovias pedagiadas.
“É uma questão de estratégia de desenvolvimento, e que depende, antes de mais nada, da quebra de todas as vaidades. Precisamos deixar de olhar para o próprio umbigo. É necessário que sejamos grandes”, disse o arquiteto Mário Costenaro, conselheiro do programa Oeste em Desenvolvimento e ex-presidente da Caciopar. “Somos mais do que merecedores deste investimento, que será decisivo na projeção da região nos cenários nacional e internacional”, afirmou Ailton Caieiro.
O deputado estadual Márcio Pacheco disse que o assunto transcende questões políticas e partidárias. “É um exercício de superação”, afirmou. O presidente da Acit, Flávio Furlan, lembrou que muitos empresários deixam de investir na região porque ficam reféns de condições climáticas de um aeroporto, o de Cascavel, que há muito já demonstrou estar defasado diante das necessidades de uma região em franco desenvolvimento.
Por sua vez, o prefeito de Assis Chateaubriand e presidente da AMP, Marcel Micheletto, entende que o gesto dos líderes é uma demonstração de maturidade no tratamento de um assunto que é extremamente caro a todos, o futuro das próximas gerações. “É exemplos desses que o Brasil precisa”, afirmou. “Os prefeitos estão imbuídos nesta causa, que é de todos, e marcharão juntos a Curitiba e Brasília para encontrar os caminhos para a concretização deste sonho”, comentou o prefeito de Matelândia e presidente da Amop, Rineu Menoncin (Teixerinha).
Para o empresário Edson Vasconcelos, presidente da Acic e do Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Cascavel, já passou da hora de uma região que hoje é coadjuvante virar protagonista.”Vai chegar o momento em que teremos de ampliar a sensação do que é defender o Oeste”, disse. Já o prefeito Paranhos lembrou que, enquanto em várias partes do País se discute apenas corrupção, no Oeste pensa muito maior. “Aqui temos pessoas de visão, que não se dão ao luxo de serem medíocres”.

     

Share this:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *